sábado, 9 de dezembro de 2006


Recebi este texto da Academia Novak e achei muito interessante, visto que a gente geralmente fantasia demais relações onde estamos apaixonados. Pastei muito pensando desta forma, até que encontrei o meu par. Impressionante é o fato que um amor verdadeiro é totalmente diferente do que eu fantasiei muitas vezes com outras pessoas. E a grande diferença é justamente a simplicidade, é algo que se encaixa sem atrito, é suave, não existem complicações, não existe mesmo, é serio.

Uma vez me perguntaram por que eu não escrevo mais declarações de amor.... Eu respondi que não havia mais a necessidade de escrever ou falar eu te amo mil vezes ao dia, pois isso parecia auto-afirmação ou algo parecido, eu simplesmente fazia amor com ela 24 horas por dia, não sexualmente falando, mas fazer amor em um olhar, em um carinho, até mesmo em uma discussão no pedir desculpas ou no desculpar, fazer amor é o bem querer e o ser querido todos os dias, somado a todas as realizações de uma vida a dois, o aprendizado, a vivência a amizade.

O amor realmente é simples e acontece com todos... tudo na hora certa.
Mas vamos ao texto:


Texto de Aldo Novak
http://www.aldonovak.com.br

Não gosto de desistir das coisas que amo e não gosto que meus clientes desistam. Por isso, ajudo-os a tentar tudo o que puderem, e tudo o que souberem, para assumirem as rédeas de suas vidas profissionais, pessoais e emocionais. A sua vida merece uma chance de ser especial e memorável. E isso inclui em que você se dedique para fazer a vida de alguém especial, feliz e completa. Com sorte, também significa ter alguém que faça isso por você.

Não por dever, apenas, mas por ser um caminho apaixonante da realização.

Mas, infelizmente, no que se refere ao relacionamento entre duas pessoas, não podemos controlar todas as variáveis, as limitantes e os resultados. Até porque os resultados envolvem diferentes percepções, desejos e níveis de comprometimento.

O amor, embora seja um verbo, antes de uma emoção, é uma daquelas áreas nas quais todos nós gostaríamos de controlar os dois lados da equação, mas só podemos controlar o nosso lado. E torcer.

Um romance, seja ele namoro, noivado, casamento ou bodas de diamante, exige que os dois queiram dar um passo em direção ao futuro misterioso todos os dias – juntos. Mesmo que seja para sofrerem juntos, desafiando os problemas. Se você é do tipo que quer casar, e continuar se comportando como solteiro, então é melhor não casar. Fique como está.

Sei que o que está na moda é a fantasia de que “ser livre” é o melhor. Ser independente.

Mas, apesar do estardalhaço que algumas revistas semanais fazem, dizendo que muitas pessoas querem ficar sós, não é a realidade que encontro com meus clientes. Para mim eles, e elas, dizem a verdade. E a verdade é diferente daquilo que dizem para o show da mídia, ou para uma roda de amigos.

Ninguém quer ficar só. As pessoas apenas vestem uma confortável imagem de que a “liberdade” é mais vantajosa do que o compromisso, assim como dizem veementemente que jamais entrarão em um supermercado que os tratou mal – só para irem direto lá, quando tiverem que comprar algo.

Quando o silêncio das paredes internas do coração começa a ser escutado, o “caldo entorna”, e você se pega pensando em passar os próximos anos vivendo com aquela pessoa.

Na medida do possível, apoio meus clientes em seus sonhos e desejos. Mas, nem sempre.

Há momentos nos quais você deve olhar bem para aquela pessoa que está tratando você apenas como uma opção, uma alternativa temporária, e deixar de ter a vida dela como sua prioridade. Algumas vezes, ser a pessoa ideal não é o bastante. Especialmente, quando o outro lado da moeda tem uma lista de prioridades enorme, e você aparece em um ingrato 256° lugar.

Naturalmente, há momentos nos quais um amor não pode lhe dar atenção. E ajudo meus clientes a entenderem isso. Há altos e baixos em qualquer vida, por isso não devemos assumir o pior, apenas por um problema temporário. Mas, há também situações nas quais você precisa entender que talvez haja muito mais dentro de você do que a outra pessoa nota ou dá valor.

Quase dois anos atrás, uma cliente tratou exclusivamente deste problema comigo. Ao final do nosso processo de trabalho, ficou claro que ela não era prioridade nenhuma para o noivo. Era apenas uma opção e um “problema” na agenda. Depois de tentar tudo, e mais um pouco, ela rompeu o noivado. Ele teve todas as chances de abrir os olhos.

Ela deixou de tratar como prioridade, aquele que a tratava como opção.

Na última segunda feira, ela me telefonou e convidou para seu aniversário (é comum meus ex-clientes tornarem-se amigos). Aniversário e noivado. Com outra pessoa, claro. O engraçado da história? É que o "ex" diz ter descoberto, tarde demais, que “ela era a mulher da vida dele”. Flores, presentes e telefonemas não adiantaram -- minha cliente me autorizou a contar a história, sem revelar seu nome.

O que existe no coração dela, agora, são as lembranças de ter sido apenas mais um item, em uma agenda lotada. Agora o coração dela já está em outra vida. Ela tem outra prioridade. E o noivo atual a vê como prioridade também. O verbo amar, entre eles, se transformou no sentimento.

Agora, o ex-noivo é carta fora do baralho. Lembre-se: Não trate como prioridade quem te trata como opção. Dê todas as chances que puder. Mas, quando não houver mais o que fazer, não faça. Pare de tentar. Você saberá quando a hora chegou. Você saberá quando já tentou tudo.

E, quando chegar este momento, olhe ao redor. Se alguém não trata você como prioridade, há quem trate. Ai pertinho de você. É só olhar com o coração.

Você merece ser prioridade de alguém. Você merece ser o rei, ou a rainha, e não o vassalo, ou vassala. O amor é um jogo de "iguais de coração".

Não trate como prioridade quem te trata como opção.

© Aldo Novak www.academianovak.com.br

4 comentários:

Carla disse...

Ótimos textos, Peixe, tanto o seu como o de Novak. O amor, realmente, não precisa de muitas justificativas, né? Ele somente é e isso basta. Bjus pra vc, Quel e Julinha.

Rachel Kizirian disse...

é.... nem preciso comentar né, amor?
esse texto é tão verdadeiro... amor é amor e pronto!!
te amo.

Lula disse...

Finalmente eu li, peixe! E sabe o que me veio à cabeça no início? Aquela história da mulher que levou o cachorro no pet shop e reclamou que ele estava cheirando como um cachorro e o atendente respondeu "mas ele É um cachorro!". Na verdade nós não podemos exigir que alguém seja à nossa imagem e semelhança. Duas cabeças, duas sentenças, as vezes discordantes.

Gostei do texto do Novak e da sua introdução (ops, vem não, meu!!).

"O amor tem razões que a própria razão desconhece", né? veinha mas sempre atual.

Abraços nocê, beijos na mulherada.

Deize disse...

Ó, gostei dos dois textos também mas, nem vem que uma declaração de vez em quando faz bem, tá ???

Nada a ver com exibição ou auto-afirmação... tudo na medida certa!

Beijãããããããoooooooo!